Cirurgia Torácica do Vale

Hiperidrose

A hiperidrose é uma desordem caracterizada pela transpiração excessiva em alguma parte do corpo. Mais comumente acontece nas mãos (palmar), pés (plantar), e axilas (axilar), e em alguns casos pode aparecer também na face e couro cabeludo (crânio-facial). A bromidrose é a alteração caracterizada pelo mal cheiro do suor, principalmente nas axilas e pode estar associada ou não à hiperidrose.
 
As pessoas afetadas normalmente tem consciência desta condição e tentam adaptar o seu estilo de vida, porém a hiperidrose pode interferir em muitas atividades rotineiras que tornam-se extremamente desagradáveis e fazem com que o portador queira fugir destas situações, levando-o muitas vezes a um quadro de fobia social. Por exemplo, o portador de hiperidrose palmar pode se sentir constrangido com o simples ato de cumprimentar outra pessoa com um aperto de mão, ou o portador de hiperidrose axilar sente-se constrangido com a marca deixada em sua roupa pelo suor embaixo dos braços.
 
Nessas condições existe um aumento da atividade do sistema nervoso simpático, que faz parte do chamado sistema nervoso autônomo. A principal característica desta parte do sistema nervoso é que não temos controle sobre ele. A literatura relata que a hiperidrose afeta entre 1 a 2,8% da população, acometendo igualmente homens e mulheres.
 
A hiperidrose pode ser classificada como primária ou secundária. A primária se inicia na infância ou adolescência e acredita-se que pode haver uma predisposição genética. A secundária pode aparecer em qualquer momento da vida e normalmente é consequência de algum distúrbio na glândula tireoide ou hipófise, diabetes, tumores, gota, menopausa, uso de certos medicamentos e intoxicação. 
 
O tratamento da hiperidrose pode ser clínico ou cirúrgico. O clínico é baseado no uso de medicamentos. Os mais utilizados são os antitranspirantes aplicados nas áreas acometidas ou medicações que inibem a atividade do sistema nervoso simpático (os anticolinérgicos), muitas vezes associados a medicamentos que tem a função de diminuir a ansiedade. A aplicação de toxina botulínica (Botox) nas áreas afetadas tem o efeito de inativar o funcionamento das glândulas sudoríparas, diminuindo e produção do suor e consequentemente a hiperidrose. Entretanto os tratamentos clínicos para a hiperidrose são considerados temporários, pois a interrupção do uso dos medicamentos normalmente vem acompanhada do retorno dos sintomas. A toxina botulínica também tem o seu efeito diminuído com o tempo sendo necessárias novas aplicações, além de ter um custo muito alto.
 
O tratamento cirúrgico conhecido como Simpatectomia é considerado o tratamento definitivo para a hiperidrose. Você também pode ler sobre a cirurgia na sessão temas do nosso site.

Voltar